Como fazer currículo sem experiência profissional

Atualizado: Ago 16

Mesmo que você nunca tenha trabalhado, é possível ter um currículo com informações relevantes. Até seus conhecimentos em redes sociais são válidos.


Um currículo recheado de informações sobre vida acadêmica e profissional, se feito de maneira objetiva, chama a atenção de recrutadores. Mas e quando a busca é pelo primeiro emprego, o que colocar no documento?


Se você já travou diante do computador por achar que não tem conteúdo suficiente para preencher ao menos uma página, calma! É possível que, após as dicas a seguir, você descubra habilidades que nem sabia que eram interessantes para usar a seu favor.


COMECE PELO BÁSICO

A maneira de demonstrar interesse por uma vaga e apresentar-se às empresas é por meio de um currículo. Mesmo que muitos recrutadores busquem candidatos na internet, acessando cadastros em sites de empregos, elaborar seu próprio documento é fundamental.


De acordo com Noaly Avenoso, uma das analistas de recrutamento e seleção da EB Corporate, muita gente esquece de informações básicas no currículo, inclusive quem já têm experiência profissional. “É muito importante colocar nome completo, idade, endereço, data de nascimento, e-mail e telefone. Já números de RG, CPF e carteira de trabalho são desnecessários. Hoje em dia, a maioria das empresas faz convocações pelo WhatsApp, então o contato deve estar atualizado. O recrutador tem que bater o olho no documento e achar os dados principais – e a fonte usada deve ser legível”, destaca.


Sobre você estar em busca da primeira oportunidade no mercado de trabalho, não há problema nenhum em expor isso no campo “objetivo”. É até indicado para ser encontrado com mais facilidade pelo RH das empresas quando houver vaga de Jovem Aprendiz.


AUTOCONHECIMENTO


Para filtrar as informações que vão para o currículo é necessário fazer um exercício de autoconhecimento. Principalmente tratando-se de ingresso no mundo corporativo, quanto mais você identificar habilidades, melhor. Listar o que você sabe fazer, tendo aprendido de maneira autodidata ou em cursos, ajuda a organizar as ideias e ter conteúdo.


Se você conhece a usabilidade de redes sociais e programas de edição, por exemplo, é interessante que os recrutadores saibam. Mesmo que você não tenha feito cursos e não possua diplomas, suas habilidades são úteis para as empresas. “Os conhecimentos em idiomas também devem ser citados mesmo que você tenha aprendido sozinho, sem certificados. O contratante quer saber como você se sai no teste prático. Se você mandar bem, é o que importa”, comenta Noaly.


No currículo, as informações sobre programas, aplicativos e idiomas que você domina podem ser organizadas no tópico “habilidades”. Mas não se esqueça de citar o seu nível de conhecimento em cada um deles. Anote tudo o que você sabe fazer e já tenha usado em projetos pessoais, na escola ou faculdade, para dar forma ao seu histórico. Existem ferramentas e aplicativos que, na maioria das vezes, as pessoas aprendem a usar sozinhas – e você pode acrescentá-los. Confira alguns exemplos:


◻ Word

◻ Excel

◻ PowerPoint

◻ Adobe Photoshop

◻ Adobe Illustrator

◻ Instagram

◻ Pinterest

◻ Facebook

◻ Twitter

◻ LinkedIn

◻ TikTok

◻ YouTube

◻ Google

◻ Google Agenda

◻ Google Drive

◻ Google Docs

◻ Google Forms

◻ Google Planilhas

◻ Google Analytics

◻ Google Trends

◻ Google AdSense

◻ Google Shopping

◻ Inglês

◻ Espanhol


Há também cursos gratuitos na internet oferecidos na modalidade de Educação a Distância (EAD) que podem ajudá-lo a turbinar o currículo. Para filtrar os que mais combinam com você, defina uma área de interesse para ser mais assertivo.


QUEM É VOCÊ?

Outra dica que ajuda a ter conteúdo e a se apresentar é fazer uma introdução sobre seus pontos positivos. “Não há necessidade de enfeitar nada, mas fazer um resumo falando sobre você demonstra o seu grau de interesse na vaga ou empresa”, explica a analista Noaly. Neste caso, defina quem é você, o que faz e o que pretende fazer, além de focar na área em que se encaixa e quer atuar.


Eventos e experiências escolares dos quais você participou e teve destaque podem ser especificados em “experiências extracurriculares”.


Já se você tem dúvida sobre colocar ou não foto no currículo, essa é uma questão relativa e pessoal. Porém, se optar pelo uso da imagem, é fundamental atentar-se à escolha. Lembre-se que você está em busca de emprego e é neste momento que o recrutador terá a primeira impressão sobre você. “Se a pessoa se sentir à vontade em usar foto, tudo bem, desde que não seja muito descontraída, do tipo que postaria no Instagram, com muita informação. E muito menos segurando bebida, coisa que, acredite, costuma acontecer. Também não precisa ser muito formal, no estilo 3x4. Pode ser uma foto sorrindo, mais clean, em close”, sugere Noaly.


Caso você possua um portfólio on-line, no Behance, por exemplo, não deixe de incluí-lo. Mesmo que você não tenha feito trabalhos como freelancer, mas possua materiais pessoais de arquivo, apresente-os aos recrutadores.


FORMATO


Após finalizar o seu currículo é importante revisá-lo para não deixar passar nenhum erro de português. Pedir para outra pessoa analisá-lo é uma alternativa simples e que ajuda a evitar deslizes gramaticais. Atente-se também à organização das informações: categorize os dados redigidos para que haja uma linearidade e tudo seja apresentado de forma objetiva.


Concluída esta etapa, é hora de deixar o arquivo em um formato anexável. Pode ser em Word ou PDF. A vantagem do PDF é que o arquivo fica fechado para edição e você pode criar links no documento – para portfólio, por exemplo. Transformar um arquivo Word em PDF pode ser feito de forma on-line e gratuita em poucos cliques.


“Não mande o currículo no corpo do e-mail. Se a pessoa que recebê-lo tiver que encaminhá-lo a alguém, o ideal é que ele esteja em anexo. Sem contar que enviar no corpo do e-mail passa a sensação de desleixo. Em vez de copiar e colar o documento, coloque-o em anexo”, indica a analista de recrutamento e seleção da EB.


MODELOS DE CURRÍCULO


Existem diversos sites que disponibilizam modelos de currículo, dos formais aos mais descontraídos. E todos eles são válidos, desde que você seja objetivo e revise seu conteúdo. O próprio Microsoft Word possui uma gama de modelos que podem ser facilmente preenchidos, portanto, é possível fazer a sua primeira versão sem dificuldades. O importante é dar o primeiro passo e começar a produzir o seu material em busca da primeira oportunidade.


“Não ache que seu currículo está muito vazio, pois você está começando. As empresas que estão buscando alguém para primeiro emprego vão querer ler sobre você, saber no que você está interessado, mesmo sem experiência profissional”, finaliza a analista Noaly.


Não deixe de ler:

O que pesquisar sobre a empresa antes da entrevista



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo